Governo anuncia R$ 187 bilhões para Plano Safra

O plano de safra da agricultura foi lançado essa semana pelo governo. O volume de recursos cresceu 20% em relação ao ano passado. Apesar desse aumento, o plano traz alguns problemas, como o aumento dos juros. Para uns, juro mais alto é inevitável neste momento difícil da economia. Para outros, pode ser um tiro no pé, porque justamente nesse momento, a agricultura está mostrando um ótimo desempenho. Por isso, poderia receber mais incentivo.

Os recursos do novo Plano Safra são de R$ 187,7 bilhões. Desse total, R$ 149,5 bilhões se destinam a financiamentos de custeio e comercialização. O restante, R$ 38,2 bilhões, são para investimentos como máquinas, equipamentos e armazéns. “Estamos ampliando em 20% os recursos de crédito para financiar a próxima safra”, disse a presidente Dilma Rousseff.

“O Plano Safra mostra que o ajuste econômico não se dá apenas com cortes, se dá também com investimentos”, declara Kátia Abreu, ministra de Agricultura.

O limite de financiamento de custeio por produtor ficou em R$ 1,2 milhão. Isto é 8% a mais do que no ano passado. O limite para comercialização passou para R$ 2,4 milhões, uma alta também 8%. Quanto aos investimentos, o limite por produtor foi mantido em R$ 385 mil.

A taxa média de juros do Plano Safra ficou em 8,75% ao ano. Este valor é quase 35% maior do que no ano passado. O setor produtivo não reclamou. “Podemos considerar que é o melhor que se podia fazer dentro da atual conjuntura. Com a inflação batendo onde está batendo, com as taxas de juros da Selic muito acima disso, eu considero extremamente razoável uma taxa de juros de 8, 75”, diz Márcio Freitas, presidente da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras).

“Nós não vamos dizer que é insignificante, nem que não vai ter um peso importante no custo de produção. Mas com certeza é muito melhor nós termos um juro maior e termos recursos pra financiar o Plano Safra de que não ter recurso”, afirma João Martins, presidente da Confederação da Agricultura.

O Plano Safra entra em vigor oficialmente no dia primeiro de julho. O setor agrícola pergunta: quando o dinheiro vai chegar ao campo? Segundo a Associação dos Produtores de Soja do Brasil, nos anos anteriores o governo havia antecipado parte do dinheiro.

“A divulgação houve por parte do governo, de instituições, que ia ter R$ 9 bilhões em março, abril e maio e esse dinheiro não chegou. Então é importante frisar mais uma vez que esse Plano Safra saia do palanque, dos holofotes e chegue nas instituições financeiras pra financiar a safra brasileira que tá começando a acontecer”, explica Almir Dalpasquale, presidente da Aprosoja Brasil.

Apesar do volume total destinado ao setor ter aumentado 20% em relação ao ano passado, os recursos para investimento tiveram uma queda de 13%.